Classe média alta vai impulsionar o resultado das empresas de construção

As empresas do setor de construção civil vão enfrentar em 2013 cenários bastantes distintos. É que se por um lado as companhias que focarem no segmento de classe média alta vão apresentar resultados atrativos durante o ano, do outro aquelas ligadas ao segmento econômico podem enfrentar problemas.

De acordo com a equipe de análise da Ágora Corretora, o segmento direcionado às famílias de classe média-alta continua como o mais atrativo do setor, mesmo sem apresentar grandes modificações em relação a 2012. É que a situação financeira desse segmento se mantém confortável, de acordo com a equipe.

Na contramão, as que atuam em projetos econômicos, como Minha Casa Minha Vida, não devem apresentar boa performance neste ano. "Tal fato pode ser explicado pela menor acessibilidade a empreendimentos populares, fato que deve permanecer afetando o volume das vendas", explica José Cataldo analista da Agora Corretora.

Entre as empresas que iniciam a semana divulgando seu resultado financeira está a Gafisa. A companhia, de acordo com expectativa da Um Investimento deve apresentar lucro líquido de R$ 34,7 milhões no quarto trimestre, após a empresa ter registrado prejuízo de R$ 1 bilhão um ano antes. De acordo com Cataldo da Ágora, "a subsidiária Alphaville deverá continuar impulsionando os resultados, enquanto a divisão Tenda, permanecerá afetando o desempenho consolidado."

Outra empresa que divulga resultado na semana é a Brookfield, que pode mostrar um desempenho inferior ao visto em 2011. A previsão é que o lucro líquido tenha atingido R$ 53,8 milhões, uma queda de 28,3% ante o mesmo período do ano anterior. "O nível de endividamento continua elevado, mesmo após o aumento de capital. Além disso, o nível de unidades não vendidas segue preocupante", destaca o analista.

Já a Helbor, que de acordo com a prévia divulgada apresentou Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 937,2 milhões no trimestre totalizando oito empreendimentos, deve segundo Cataldo, "continuar com elevados níveis de rentabilidade". A empresa deve apresentar alta de 26,11% no lucro líquido do trimestre que deve somar R$ 71 milhões.

Setor

O relatório Sondagem Indústria da Construção de 2013 da CNI mostrou que a atividade do setor continua desaquecida, ficando abaixo dos 50 pontos. "Para as empresas, o desafio estará ligado à capacidade de execução. Só serão beneficiadas as que melhorarem gradativamente seus índices de eficiência, o que produzirá reflexo na retomada da rentabilidade", opina Wesley Bernabé analista do BB Investimento.

Fonte: CBIC